O que são ações?

Ações, frações de capital e patrimônio líquido:
terminologia do mercado de ações explicada
de forma simples

No dinâmico mundo das finanças, frequentemente ouvimos termos como ações, frações de capital e patrimônio líquido. Às vezes, esses termos são usados de forma intercambiável. Vamos desvendar esses conceitos de forma que fique mais fácil de entender:

  1. Patrimônio líquido O patrimônio líquido representa a quantidade de dinheiro que os acionistas (proprietários) de uma empresa receberiam se todos os ativos fossem vendidos e todas as dívidas fossem pagas. Um acionista é, portanto, essencialmente qualquer pessoa que detém uma parte do patrimônio líquido de uma empresa. Por exemplo, digamos que a empresa valha US$ 100, e você detém US$ 5 do patrimônio líquido. Isso significa que você detém 5% do total. Quanto maior o seu patrimônio líquido em uma empresa, maior será sua parte na empresa.
  2. Ações: Uma ação representa sua fração de participação acionária em uma empresa. Quando você compra ações, você adquire uma parte da participação acionária dessa empresa. As empresas vendem ações para arrecadar dinheiro, e as pessoas compram ações na expectativa de que a empresa tenha bom desempenho, tornando suas partes mais rentáveis.
  3. Frações de capital: As frações de capital são partes específicas das ações que você detém e são indivisíveis. Usando o exemplo do patrimônio líquido acima, se a empresa emitir 100 frações de capital de US$ 1 cada e você comprar cinco, você então deterá frações de capital no valor de US$ 5.

Veja como eles estão relacionados: Quando você compra frações de capital, você está comprando ações, o que significa que você está adquirindo patrimônio líquido de uma empresa, e assim, possuir frações de capital = possuir ações = ter patrimônio líquido de uma empresa.

Pronto para aprender mais sobre ações?

Leia o guia completo para entender melhor o que são as ações e como elas funcionam!

O processo de compra e venda de ações

IPOs e seu papel no mercado  

Imagine um mundo onde empresas ambiciosas são como navios zarpando em vastos oceanos financeiros, ansiosos para explorar novos territórios. Nesse mundo, as Ofertas Públicas Iniciais (IPOs) são os grandes eventos nos quais essas embarcações tocam as águas pela primeira vez, aplaudidas por investidores e espectadores. Os IPOs marcam o momento em que uma empresa privada se torna pública, oferecendo suas ações ao público geral pela primeira vez através de uma bolsa de valores.

Esse processo é significativo por várias razões. Primeiro, permite que as empresas levantem capital substancial rapidamente, impulsionando seu crescimento e seus planos. Para os investidores, os IPOs apresentam uma oportunidade de fazer parte da jornada de uma empresa desde o início. Os investidores podem começar a comprar frações do capital (ações) da empresa ao preço de mercado vigente, impulsionado pela oferta e demanda.

Se potenciais investidores acreditarem no bom desempenho da empresa no futuro, a demanda por suas ações aumenta, assim como o preço que os investidores estão dispostos a pagar para detê-las. O preço das ações muitas vezes aumenta dramaticamente no momento da IPO; no entanto, também há casos em que a demanda é baixa, então o preço diminui.

No entanto, é um momento de celebração e uma jogada estratégica. Ao se tornar pública, as empresas se abrem a uma maior fiscalização por parte dos acionistas e reguladores, pois uma empresa pública exige a divulgação de várias informações ao público, incluindo informações financeiras. Isso mostra o compromisso e a confiança da empresa em seu modelo de negócios.

Por que as empresas escolhem abrir capital?

As razões podem variar e podem incluir alguns dos seguintes motivos:

  • Expansão – novos mercados, aumento de marketing, crescimento de recursos.
  • Inovação – investimento em P&D, uso de novas tecnologias e métodos.
  • Pagamento de dívidas – liquidar quaisquer dívidas..
  • Pagamento de investidores – permitir que os primeiros investidores, como os provedores de capital inicial, retirem seu investimento ou ofereçam a eles patrimônio adicional na forma de ações.

À medida que nosso navio levanta âncora, é essencial entender que, embora os IPOs possam ser empolgantes, eles também trazem riscos.

A volatilidade do mercado e o interesse e sentimento flutuantes dos investidores podem tornar a jornada imprevisível. No entanto, as possíveis recompensas podem ser significativas para aqueles dispostos a navegar por essas águas, marcando um novo capítulo na história da empresa e na carteira do investidor.

Adicione uma ilustração para “O processo de compra e venda de ações”: Um fluxograma mostrando o processo de IPO. Comece com um ícone de "Empresa privada", levando a "Anúncio de IPO" e depois "Listagem na bolsa de valores". Inclua pequenos ícones para investidores, subscritores e órgãos reguladores, com setas mostrando suas interações no processo de IPO.

Investimento x negociação especulativa no mercado de ações

Corretora de ações e estratégias de investimento

Uma corretora de ações desempenha um papel fundamental para os investidores ao lidar com as complexidades do mercado de ações. Ela atua como intermediária entre o trader e a bolsa de valores, facilitando a compra e venda de ações de empresas públicas.

Isso inclui funções relacionadas a transações, mas também pode incluir outros serviços, como análise de mercado detalhada e assessoria de investimento personalizado. A corretora automatiza grande parte desse processo utilizando a Internet e plataformas modernas de trading on-line, oferecendo aos clientes uma série de recursos de autoatendimento.

Investimento de longo prazo: Valorização do capital e dividendos

As estratégias de investimento de longo prazo se concentram no crescimento do seu capital (valorização) e nos potenciais pagamentos de participação nos lucros (dividendos). A valorização do capital envolve investir em empresas com potencial para aumentar o valor ao longo do tempo. À medida que o valor da empresa cresce, o preço de suas ações sobe, tornando suas frações de capital (ações) mais valiosas.

O investimento focado em dividendos tem como alvo empresas que regularmente distribuem lucros aos acionistas, proporcionando um fluxo de renda constante. Essa abordagem dupla permite que os investidores equilibrem os ganhos de curto prazo com os dividendos e o crescimento de longo prazo de seus investimentos de capital.

Uma característica fundamental do investimento de longo prazo é o foco nos resultados ao longo do tempo, e não nas oscilações de curto prazo (diárias, semanais, mensais) que o preço das ações enfrentará em sua trajetória de crescimento.

Negociação especulativa: Alto risco, alta recompensa

Por outro lado, a negociação especulativa é adequada para aqueles que prosperam em ambientes de alto risco e envolve previsões de curto prazo sobre os movimentos dos preços das ações. Esse método exige compreensão das tendências de mercado, dinâmicas, fatores impactantes e uma gestão de risco rigorosa.

A negociação especulativa tem como foco aproveitar os movimentos de preços de curto prazo, onde os lucros podem ser obtidos comprando e vendendo ações nos momentos apropriados. No entanto, para alcançar um sucesso consistente, é necessário um forte conhecimento e habilidades de trading. Também envolve ter um plano de trading claro e usar ferramentas de gestão de risco, como ordens de stop-loss e take-profit. Embora a negociação especulativa ofereça o potencial de retornos significativos no curto a médio prazo, ela também traz o risco de perdas igualmente rápidas

Conclusão: investimento x negociação especulativa

Vivenciar o mercado de ações requer uma distinção clara entre investir e negociar de forma especulativa. Traders e investidores devem alinhar suas escolhas com suas metas financeiras, tolerância ao risco e entendimento do mercado. Seja optando pelo caminho mais estável do investimento estratégico ou pelo mundo dinâmico da negociação especulativa, o sucesso depende de uma combinação de conhecimento, disciplina e gestão de risco.

Fundamentos de gestão de riscos para traders de ações

Há riscos em tudo o que fazemos, desde dirigir um carro até descer escadas e, claro, no espaço financeiro, não poderia ser diferente. Portanto, a gestão de riscos trata de minimizar as perdas diante de eventos adversos, sem sacrificar os potenciais lucros.

À medida que continuamos nossa jornada pelo diversificado cenário de investimentos e trading, torna-se claro que dominar a arte da gestão de riscos não é uma opção, mas uma necessidade. Os mercados financeiros flutuam constantemente por conta de diversos fatores, desde oferta e demanda até eventos geopolíticos, notícias, regulamentações e muito mais.

Seja você um trader experiente navegando pelas correntes voláteis da negociação especulativa ou um investidor de longo prazo traçando um rumo mais estável, é fundamental entender e implementar estratégias robustas de gestão de riscos.

A gestão de riscos começa com a compreensão de sua tolerância ao risco, definindo o nível de risco que você está confortável em assumir e alinhando sua estratégia de investimento de acordo. Essa autoconsciência é a base para todas as outras estratégias de gestão de riscos.

A diversificação é uma das ferramentas mais eficazes em seu arsenal de gestão de riscos. Ao diversificar seus investimentos por vários ativos, setores ou regiões geográficas, você reduz o impacto de um único investimento com baixo desempenho em sua carteira geral. É não colocar todos os ovos em uma única cesta.

Na negociação alavancada, os riscos são ainda maiores porque você está negociando com “fundos emprestados” da corretora. Nesses casos, empregar ordens de stop-loss é uma necessidade absoluta.

Uma ordem de stop-loss é uma instrução automática para vender um ativo quando seu preço cair para um determinado nível, ajudando a limitar possíveis perdas. Da mesma forma, colocar uma ordem de take-profit garante que você aproveite a oportunidade de lucrar antes da mudança do mercado.

Outro aspecto crítico da gestão de riscos é a educação continuada e a manutenção da informação atualizada. O mercado é dinâmico, e estar a par das notícias econômicas, tendências de mercado e relatórios financeiros pode ajudar você a tomar decisões mais conscientes.

Por fim, revisões regulares da carteira são essenciais. Essa prática permite que você ajuste suas estratégias, reequilibre seus investimentos e garanta que seu portfólio esteja alinhado com suas metas financeiras e com as mudanças nas condições do mercado.

Essencialmente, a gestão de riscos é uma habilidade que, quando dominada, capacita investidores e traders a navegar nos mercados financeiros com confiança, transformando potenciais ameaças em desafios gerenciáveis.

Trading de ações alavancada através de derivativos

Na jornada de negociação especulativa, encontramos o mundo dos derivativos alavancados.

Derivativos  – são instrumentos financeiros baseados no valor de um ativo subjacente que pode ser negociado. Entre esses instrumentos, os Contratos por Diferença (CFDs) se destacam como uma escolha popular para os traders. Os CFDs são essencialmente acordos entre um trader e uma corretora para trocar a diferença no preço de um título ou ativo desde o momento em que o contrato é aberto até o momento em que é fechado.

A alavancagem  permite que os traders obtenham uma exposição maior ao mercado com um capital inicial relativamente baixo. A corretora fornece o capital adicional (alavancagem) para que o trader possa gerenciar uma posição de negociação mais substancial. Essa alavancagem amplia os potenciais lucros e perdas, tornando-se uma faca de dois gumes que requer manuseio cuidadoso.

Veja como funciona: Digamos que você tenha US$ 1.000 para negociar, acredita que as ações da Empresa X irão subir e o custo atual por ação é de US$ 100. Em vez de comprar as ações imediatamente e obter apenas dez frações de capital (ações), você abre uma posição alavancada de CFD de 10:1. Agora você pode controlar uma posição no valor de US$ 10.000 (US$ 1.000 x 10) com apenas seu capital inicial de US$ 1.000.

Se o preço das ações subir, você pode fechar sua posição a um preço mais alto, lucrando com a diferença entre o valor de compra e o valor de venda. Por outro lado, se o preço cair, você incorrerá em uma perda. A natureza ampliada dessa negociação mostra que até mesmo pequenas oscilações do mercado podem impactar significativamente sua posição.

A possibilidade de lucros maiores é tentadora, mas é crucial entender os riscos. O uso da alavancagem, embora permita ganhos significativos, também pode levar a perdas substanciais, muitas vezes superando o valor inicial do investimento. Portanto, empregar estratégias rigorosas de gestão de riscos, como definir ordens de stop-loss e investir somente o valor que você está disposto a perder, torna-se ainda mais crítico.

Também é vital conduzir uma pesquisa detalhada e entender os ativos subjacentes que você está negociando. Conhecer as tendências do mercado, o desempenho da empresa e os fatores econômicos ajudam a tomar melhores decisões de trading.

Em resumo, operar com derivativos alavancados, como CFDs, oferece potencial para retornos consideráveis. No entanto, também requer um alto nível de entendimento, disciplina e gestão de riscos. Assim como todas as estratégias de alta recompensa, a jornada exige cautela, conhecimento e pulso firme.

Por que negociar ações com a AvaTrade?

Iniciar sua jornada de trading requer um parceiro confiável e cheio de recursos, e a AvaTrade se destaca como uma escolha líder para traders em todo o mundo. Para uma experiência de trading recompensadora e enriquecedora, a AvaTrade oferece uma combinação única de segurança, conhecimento e tecnologia de ponta. Veja por que a AvaTrade é a escolha ideal para suas empreitadas de negociação de ações:

  • Regulamentação internacional: A AvaTrade é rigorosamente regulamentada em todo o mundo, garantindo um ambiente de negociação seguro e confiável.
  • Recursos educacionais: Nossa seção Educação oferece uma grande variedade de materiais educacionais para aprimorar seus conhecimentos e habilidades de trading. Aprofunde seu conhecimento de mercado com webinars gratuitos, cursos da AvaAcademy e outros materiais educacionais.
  • Plataformas de trading avançadas:  Beneficie-se de plataformas de trading intuitivas e inovadoras que simplificam e otimizam sua experiência de trading. Escolha MT4, MT5 e WebTrader, ou baixe o aplicativo AvaTrade em seu smartphone.
  • Recursos exclusivos de trading: Acesse análises de mercado ao vivo da Trading Central. Use nossa solução exclusiva de gestão de risco, AvaProtect, e aproveite os sinais de trading acionáveis diretamente na plataforma.
  • Atendimento ao cliente premiado: Receba atendimento de qualidade, reconhecido por sua excelência, a fim de auxiliar você em cada etapa de sua jornada de trading.

Pronto para melhorar suas habilidades de trading? Leia nossos guias completos para aprimorar seu conhecimento e refinar suas estratégias.


Perguntas Frequentes (FAQs)

O que são ações, frações de capital e patrimônio líquido?

Ações, frações de capital e patrimônio líquido representam unidades de participação acionária de uma empresa. Embora frequentemente usados de forma intercambiável, as unidades de "ações" são referidas como "frações de capital" e representam unidades de participação acionária em uma empresa específica. "Patrimônio líquido" refere-se à participação acionária total em uma empresa. Os acionistas podem receber pagamentos de dividendos e ter direitos de voto, dependendo do tipo de ações detidas.

Qual é a diferença entre investir e negociar ações?

Investir envolve comprar e manter ações a longo prazo para se beneficiar da valorização do capital e dos possíveis dividendos. Por outro lado, a negociação envolve especular sobre os movimentos de preços de curto prazo das ações, muitas vezes facilitados por instrumentos financeiros derivativos como CFDs e apostas de spread. A negociação pode ser realizada em prazos mais curtos, desde minutos até meses.

O que são CFDs e como eles funcionam na negociação de ações?

Os CFDs (Contratos por Diferença) são derivativos que permitem aos traders especular sobre os movimentos de preços das ações sem possuí-las. Os traders podem "comprar" se anteciparem um aumento de preço ou "vender" se preverem uma queda de preço. Os CFDs são produtos alavancados, o que significa que os traders podem controlar uma posição mais proeminente com um pequeno depósito, aumentando os potenciais lucros e perdas.

Como posso gerenciar riscos na negociação e investimento em ações?

A gestão de riscos envolve diversificar sua carteira, estabelecer metas claras de investimento ou negociação e usar ferramentas como ordens de stop-loss para limitar possíveis perdas. Para os traders, especialmente aqueles que usam alavancagem, é essencial ter uma estratégia bem definida, manter-se informado sobre as tendências do mercado e ajustar as posições com base nas condições de mercado.

Posso lucrar com a queda dos preços das ações?

Sim, os traders podem especular sobre a queda dos preços das ações por meio de estratégias de trading como a venda a descoberto ou usando derivativos como CFDs. Ao "vender" um CFD de ações, por exemplo, um trader pode lucrar se o preço da ação cair, mas incorrerá em uma perda se o preço subir. Entender os riscos associados a essas estratégias e empregar técnicas de gestão de riscos é essencial.

chatbot